quinta-feira, outubro 27, 2016

de de

As coisas seculares


       Toda vez que eu vou ouvir uma música, assistir à um filme, fazer qualquer coisa, eu acabo mesmo sem querer, analisando se essa é uma atitude que acrescenta algo de bom à minha vida, ou se isso me induz ou já induziu algum dia ao pecado.

 “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco.” Filipenses 4:8
       A gente tem muita porcentagem no nosso corpo de uma coisa chamada humanidade, o que nos torna, por vezes, cegos. Que mal pode ter ouvir uma música? Ora, que mal também pode ter ver uma novela, um filme que não seja cristão? 
De fato, irmãos, ver, ler e escutar coisas que não sejam cristãs, não necessariamente servirão para a nossa ruína espiritual, porque nem tudo tem maldade, ou traz intenções maldosas e coloca uma mensagem ruim no nosso coração, mas é preciso tomar muito cuidado com o que a gente lida no dia a dia, porque isso tem influência direta nos pensamentos que nós desenvolvemos ao decorrer do tempo.

      A gente sabe que nada é proibido, mas nem tudo convém. Deus não nos obriga a ficarmos somente com música gospel no celular, ou ler somente a Bíblia e ver filmes que sejam só testemunhos, mas nos dá a escolha. Eu sei que você, que está na caminhada com Jesus, já percebeu que algumas coisas as quais nos submetemos diariamente, fazem com que nos tornemos mais agressivos ou mais calmos, mais amorosos ou mais raivosos, e sabe que tudo a nossa volta faz a diferença.

       Eu fiz a experiência de cortar tudo que era do mundo da minha vida por um tempo. Sim, neste intervalo, eu não ouvia nada que não fosse cristão, não lia nada que não fosse cristão e não assistia a nada que não fosse cristão. A resposta que eu obtive? No começo, eu sentia vontade de ouvir as músicas que eu curtia, foi onde mais senti... Mas com o passar dos dias, tudo acabou sendo muito natural, porque o tempo que eu gastava com as coisas seculares, eu dediquei à Deus, às coisas de Deus, e isso aumentou minha fé, fortaleceu minha coragem, fortaleceu minha persistência na oração, me aproximou de Deus! 
Pode parecer radicalismo, e não precisa ser assim, porque existem alguns conteúdos que não falam de Deus, mas também não trazem a pregação do mundo... Existem cristãos que produzem conteúdos diferentes dos usuais, por exemplo. Tem aqueles que falam de amor entre as pessoas, falam de sonhos, de aventuras, e não é ruim falar sobre sentimentos, mas aí entra seu bom senso de cristão! Você deve vigiar e investigar aquilo que vem como bênção, aquilo que te faz refletir sobre algo e te faz se sentir bem de alguma forma, e aquilo que vai servir de maldição para sua vida. A escolha de deixar de lado isso ou aquilo, cabe a você, daquilo que você percebe que te afasta ou te aproxima de Deus. A gente deve sempre abandonar o pecado, deixar de lado aquilo que nos coloca longe de Deus, aquilo que vai contra tudo o que acreditamos, que traz desrespeito e agride o Amor.

       Como saber o que devo ou não ouvir? Tenho um segredo muito simples. Quando eu quero saber se posso ou não ouvir algo, eu me pergunto o que Jesus diria daquilo. Me pergunto se Jesus ouviria, leria, veria aquilo e se sentiria feliz, ou se Ele se entristeceria. Eu me pergunto se aquilo é capaz de fazer parte de um plano de Deus, e então... Pronto! Caso encerrado!
Se você tem uma experiência assim, conte para nós nos comentários! Fique na paz do Senhor!

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário